quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Universidade



Bem muitos de vocês vão este ano pela primeira vez para a universidade, então pensei em fazer um post com as minhas experiências do primeiro ano. Como é óbvio, sentem-se inseguros, desconfortáveis, nervosos, com medo do que se possa a vir a passar, nostálgicas por deixar o secundário, os amigos de sempre, a família, ansiosas, e tantas outras coisas, tudo muito normal nesta fase.
Eu, estive na mesma situação de muitos de vocês, no ano passado por esta altura eu nem me conseguia aturar a mim mesma, quanto mais aturar outros que estivam na mesma situação que eu ou em outras situações que não tivessem nada a ver. Eu sempre tive o sonho de seguir alguma coisa ligada com a saúde, nunca medicina, ou enfermagem. Mas desde o meu 10 ano que tinha como sonho seguir o curso em que estou hoje, é certo que não me empenhei muito (excerto no 12 ano, coisa típica da Xana, que só estuda na ultima da hora), eu tinha a média de acesso, igual à do ano passado, mas era mesmos resvés e por isso ainda andava mais nervosa, para juntar a isto como todos vocês estava sempre a pensar como seria lá, como seriam as praxes, como seria com a casa, com o comer, se iria arranjar algum amigo (sim, porque eu sou muito envergonhada e não tenho muita lata para ser eu a começar a falar com alguém desconhecido), e todas aquelas preocupações de quem vai sair de casa dos pais e vai viver sozinha sem nenhum amigo porto de nós e claro a minha preocupação maior: o meu irmão que tínhamos andado sempre juntos desde que nascemos e nunca nos tínhamos visto separados um do outro por mais que uma semana.
Mas depois lá entrei no curso que tanto ansiava, e na cidade que queria, tudo estava a começar a encaminhar-se.
Posto isto, tive que arranjar casa, tive que ir fazer a matrícula, arranjar a minha “vida”, porque de certa forma o meu mundo, não deu uma volta de 360 graus (como muita gente diz), mas sim deu uma volta de 180 graus. Como a maior parte de vós, que vai entrar este ano na universidade vão ter pelo menos uma semana para se mentalizarem que entraram e aprontar tudo aquilo que vão precisar para levar para a vossa “nova” cidade (para quem vai sair da cidade natal.)
(Um conselho que eu não fiz mas devia ter feito, os vossos pais vão à nova cidade pelo menos duas vezes (claro se ficarem no continente) uma para irem fazer a matricula e arranjar casa e depois a segunda é para vos ir deixar e levar os vossos pertences. Conselho: quando forem fazer a matricula, quase de certeza que arranjam logo casa, então levem logo alguns dos vossos pertences, pois vocês já vão ficar com a chave da casa e do quarto, e assim, já lá fica alguma das vossas coisa, porque depois vão ver que da segunda vez que lá forem o carro vai atulhado até ao tecto)
Passada toda esta azáfama de entrar no curso que queria, matriculas, arranjar casa, arranjar tudo para levar, começa, se calhar, a parte mais difícil que é a da vossa integração, não só às pessoas, mas também com a escola, curso, cidade, praxe e todas as outras coisas que vos vai rodear.
Bem muitos de vós estão reticentes em ir para a praxe ou não, eu caloira 2012/2013 fui praxada e digo-vos adorei foi das melhores escolhas que eu fiz até hoje. Se vão ser massacrados? Sim. Se vão sentir falta, de quando chegarem a casa depois de um dia de aulas e de praxe dura, do comer da mãe do aconchego do vosso lar? Sim. Se ao outro dia vos doer as pernas e não aguentarem mais a praxe por a hipótese de faltar um dia à praxe e ficar na cama a dormir? Sim vão querer. Mas tudo passa, pois eu senti isso tudo e fui considerada uma das melhores caloiras do ano. Sabem o meu truque e que dou para todos vós? Levem a praxe na brincadeira, os doutores não vos querem fazer mal nenhum eles só querem que vós não sejais mais que ninguém, que se sintam iguais uns aos outros, pois são esses os grandes valores da praxe, vão ser humilhados, mal tratados, vão rebolar e trincar (aconselho a nunca comerem nada que eles vos dêem)  coisas que não sabem o que é, vão encher muito, está um doutor a dizer para encher 50, vem um logo a traz a dizer para encher mais 10 e outro mais 10 e assim sucessivamente. Mas nunca desistam, podem parar, porque decerto que vos vai dor e muito as pernas, mas se um chegar ao pé de vós e perguntar porque estás parado, tu começas logo a saltar e a contar e tu mais com à boa disposição do costume, mais uma vez digo levem tudo na brincadeira, porque se não vão se sentir muito mal. É na praxe que nos começamos a conhecer uns aos outros, não pensem que é só encher e só dor que vão sentir nas pernas, nada disso.
Outro conselho: honrem ao máximo o vosso curso, porque o nosso curso é sempre melhor que os outros e ai de alguém que diga o contrário saltamos logo para cima. Cantem até lhes doerem as cordas vocais, fiquem roucos, mas é isso que a praxe é de certa forma sofrer um bocado para depois ser uma coisa boa para recordar e acima de tudo ficarem mais “duro” para a vida.
Se nos primeiros dias quiseres desistir, não desistas, se pensares que no final da praxe nunca irás sentir saudades dela vais, com certeza absoluta querer voltar ao início, e de certeza que fazias tudo outra vez. Vais passar momentos lá que nunca na vida vais esquecer. E quando vos disserem que não podem rir, riam-se disfarçadamente porque eles vão virar as costas e vão se fartar de rir de ti e dos teus colegas.
Tentem participar em todas as actividades de curso, de escola, de turma, de semanas académicas, de desfiles, de lutas entre cursos e entre escolas, jantares, praxes sujas (digo-vos por experiência que eu tive uma e foi a melhor praxe de todas eu sai de lá porca, porca, porca, eu ainda hoje não faço ideia do que tinha no cabelo, demorei uma meia hora só a tentar tirar tudo o que tinha no cabelo e depois fui para a escola ter aulas e ainda cheirava mal, agora imaginem numa sala fechada, no inverno, com aquecimento, uns 30 alunos a cheirem mal, ahahah coitado do professor).
Vão sentir muitas saudades de tudo, ao inicio, a pessoa de quem eu senti mais falta foi do meu irmão sem duvida, da mãe do pai, da avó, mas depois quando já vais, lá para o meio da praxe vais começar a sentir tanta falta dos amigos de sempre aqueles que andaram contigo desde a cresce e estão demasiado longe para se verem todos os fins-de-semana ou então para se verem quando vais a casa, mas para isso é que existe um telemóvel, vão de certo sentir-se bem mais quentinhos quando falarem com eles e trocarem as experiências de praxe uns dos outros e vão gozar muito uns com os outros de certeza.
Acima de tudo tentem se divertir, mais que o máximo, porque o vosso primeiro ano vai ser um dos melhores da vossa vida acreditem e tente ao máximo ir à praxe de certeza que vão adorar
Coisa muito importante: tirem muitas fotos a tudo para depois recordarem destes bons momentos que passaram, para mostrarem aos pais, ao irmão, à família como vocês estavam e como se divertiam com tudo aquilo.
Alguma pergunta que tenham a fazer, estão à vontade para perguntar, não hesitem, porque se eu tivesse na vossa situação também queria que me ajudassem. 

22 comentários:

A. M. disse...

será útil para mim no ano que vem :)

béu disse...

Este post foi caído do céu!! Muito obrigada por contares a tua experiência, a sério!! :)

Aricia disse...

A minha experiência de primeiro ano de universidade e anos seguintes é tãããão diferente do que se costuma dizer e vivenciar por outra pessoas :\

Ana Sofia disse...

Este ano também foi o meu primeiro na faculdade e acho que falaste muito bem.

pipa disse...

adorei este texto, obrigada! Eu ando super nervosa com isto tudo e foi bom ter um testemunho assim!

Francisca disse...

obrigada por partilhares a tua experiência, é verdade, vai dar jeito a muitas bloggers (:

Francisca disse...

obrigada por partilhares a tua experiência, é verdade, vai dar jeito a muitas bloggers (:

Tânia! disse...

Gostei imenso do texto e concordo contigo, o primeiro ano será sempre o melhor de todos :)

Ana Sofia disse...

R.: Eu estou em criminologia, na FDUP. E tu (se não é segredo)?

Dummy disse...

Gostei bastante do teu texto e do teu testemunho. Acho que a praxe é muito importante para os alunos que, tal como tu, têm de mudar de cidade para estudar e se vêem aflitos para fazer novas amizades. Mas há sempre quem tenha uma personalidade que não combina com o espírito académico e há que respeitar.

Dummy disse...

Gostei bastante do teu texto e do teu testemunho. Acho que a praxe é muito importante para os alunos que, tal como tu, têm de mudar de cidade para estudar e se vêem aflitos para fazer novas amizades. Mas há sempre quem tenha uma personalidade que não combina com o espírito académico e há que respeitar.

Dummy disse...

Gostei bastante do teu texto e do teu testemunho. Acho que a praxe é muito importante para os alunos que, tal como tu, têm de mudar de cidade para estudar e se vêem aflitos para fazer novas amizades. Mas há sempre quem tenha uma personalidade que não combina com o espírito académico e há que respeitar.

Dummy disse...

Gostei bastante do teu texto e do teu testemunho. Acho que a praxe é muito importante para os alunos que, tal como tu, têm de mudar de cidade para estudar e se vêem aflitos para fazer novas amizades. Mas há sempre quem tenha uma personalidade que não combina com o espírito académico e há que respeitar.

Dummy disse...

Gostei bastante do teu texto e do teu testemunho. Acho que a praxe é muito importante para os alunos que, tal como tu, têm de mudar de cidade para estudar e se vêem aflitos para fazer novas amizades. Mas há sempre quem tenha uma personalidade que não combina com o espírito académico e há que respeitar.

Dummy disse...

Gostei bastante do teu texto e do teu testemunho. Acho que a praxe é muito importante para os alunos que, tal como tu, têm de mudar de cidade para estudar e se vêem aflitos para fazer novas amizades. Mas há sempre quem tenha uma personalidade que não combina com o espírito académico e há que respeitar.

Claudina disse...

Adorei ler o tu relato! Eu ainda tenho mais um aninho de secundário pela frente!

Amy ☮ disse...

se tudo correr bem, para o ano vou sozinha para um sítio super diferente do que vivo. estou com um bocado de receio mas contente! :) arranja-se logo casa? :o

r: eu tive 8 no 10º, 10 agora no 11º (só para puder passar) e no 12º vamos lá ver... :/

Marlene disse...

Oh muito obrigares por nos confidenciares estas coisas... Conta-me uma coisa... como escolhemos os padrinhos ? Não faço a mínima ideia de como as coisas funcionam

Bolacha de Chocolate disse...

oh estou cheia de medo de tudo!

S. disse...

vou tentar lembrar-me de tudo para o ano ;) estou tão ansiosa por isso tudo ! $

Camila. disse...

Estou uma pilha de nervos por não começar a 16, mas sim a 12, e o pior é que apesar de já ter casa desde Julho e ir partilhá-la com um amigo e colega meu do secundário (e portanto não estar sozinha), acho que o querer ficar na turma dos meus outros 3 amigos que vão para a mesma instituição e curso, está a fazer-me passar, é tanto em tão pouco tempo

Camila. disse...

Estou uma pilha de nervos por não começar a 16, mas sim a 12, e o pior é que apesar de já ter casa desde Julho e ir partilhá-la com um amigo e colega meu do secundário (e portanto não estar sozinha), acho que o querer ficar na turma dos meus outros 3 amigos que vão para a mesma instituição e curso, está a fazer-me passar, é tanto em tão pouco tempo