domingo, 29 de setembro de 2013

Das autárquicas


Hoje pela primeira vez fui exercer o meu direito de voto.
Quando era pequenita achava que quando chega-se essa altura seria uma coisa diferente, que me iria sentir "grande".
Não sou amante de politica, digo-vos sinceramente, e também não percebo grande coisa deste assunto, mas  hoje fui votar e votei em consciência. Votei nas pessoas que achava que seriam as mais competentes para o encargo. Votei naquelas pessoa, não só por as conhecer (pelo menos a dois deles) pessoalmente, mas também, por saber que não fizeram daquelas propostas extravagantes que não iriam cumprir, sei que tudo o que se propuseram a fazer (não foi muita coisa, foi compor uns caminhos aqui, limpar uma mata ali), vão cumprir, não já imediatamente mas num futuro próximo.
Bem, o que mais me intrigou foi a quantidade de pessoas que se encontravam na escola primária (local onde localizam as mesas de vota na minha terrinha).  A minha aldeia  é muito pequena, juro-vos que não chega a 40 pessoas, e na escola à espera das pessoas para votar estavam cerca de 6 a 7 pessoas. Não me causava admiração, nem nenhuma intrigarão, se essas pessoas não ganhassem o balúrdio de dinheiro que vão ganhar por estarem lá sentados todo o dia sem fazer nada. Consta-se que vão ganhar cerca de 50 euros por estarem lá e ainda lhes vão dar o pequeno almoço, almoço, lanche e jantar. Isto a mim revolta-me solenemente, porque para além de serem sempre as mesmas pessoas a estarem no bem bom a  ganhar tanto, podiam pensar um bocadinho e dar pelo menos o comer as pessoas mais necessitadas, já que ganham tanto e moram pertinho de casa iam a casa comiam e voltavam e davam esse comer para as pessoas pobres, não só da aldeia mas também da freguesia e da cidade.  Mas não. Podia também se revezar, ou seja,  um ano ia para as mesas de voto umas pessoas, outros anos iam outras, mas não, vão sempre as mesmas pessoas, as com  mais possibilidades e as pessoas ditas "finas" da aldeia. O que não devia ser assim. Sinceramente não queria ir para lá era uma perda de tempo, o que mais me aliciava seria o dinheiro porque era bem bom de se ganhar. 
Dito isto, na minha humilde opinião é um desperdício de dinheiro, o que se gasta com estas eleições, fazer-se campanhas, sim tudo bem, mas moderar-se o dinheiro que se gasta, ter pessoas nas mesas de voto, sim mas por exemplo por-se lá os funcionários públicos ou então pessoas das aldeias, mas não era necessário pagar-se assim tanto. 
Não será também por isto que o nosso país está na situação em que está? 
"Que vença o melhor"

3 comentários:

Bolacha de Chocolate disse...

eu também vou votar hoje pela primeira vez.

A. M. disse...

poderia ter sido eu a escrever isto!

Francisca disse...

É mesmo que ''vença o melhor'' (: