sábado, 9 de fevereiro de 2013

Só espero que resulte!

Dizias que gostavas de mim, que esperavas por mim, que não te importavas da distância...
E agora... Nem me falas, eu mandava-te mensagens e tu nem te dignavas a responder...
No inicio eu disse-te que era uma chata e que te ias fartar de mim e tu disses te que era impossível não gostar de mim e de te fartares. Não te percebo, sabias o porque de eu não te ter aceite logo, eu contei-te tudo e tu, não te importas-te... Apenas me abraças-te e disses-te que não eras igual e que me ias ajudar, a voltar a confiar nos rapazes.
Eu acreditei em ti, e chegue a pensar que eras o tal, que me ias "aturar a chata da Xana".
À dias voltei a ler todas as mensagens, que eu tinha guardadas, que me envias-te, disses-te me uma vez que tinhas pensado em "NÓS", mesmo sem o existir. Disses-te me que querias passar mais tempo comigo, nunca aconteceu, talvez por minha culpa, por ser muito envergonhada  mas já sabias que eu o era mesmo anates de nos falarmos. Disses-te me aquelas frases foleiras que eu achava ridículas  pois sabias perfeitamente que eu não sou romântica e que acho essas coisa lamechas. Desculpa se foi por eu ser fria, por eu ter ido estudar para longe, por eu ser tão distante e tão estranha...
Continuo a gostar de ti, mesmo só te vendo por fotos e lendo os teus posts do facebook... Se eu pudesse voltar a traz, dar-te-ia o beijo que me pedis-te. Teria te pedido para darmos uma volta só nos os dois, estarmos um pouco sozinhos, apenas para conversarmos. Gostava de te ter conhecido melhor.
Agora já é tarde... Tu quises-te afastar-te de mim. 
Gostava que me disses um "Olá", e eu, perguntar-te-ia logo, sem te dizer mais nada, o que nos aconteceu, para quase nem falarmos e ignoras-me assim tão (in)discretamente...
Tenho saudades tuas, como nunca tive de nenhum outro rapaz. Sei que nunca mais quererás nada comigo e só te desejo a maior felicidade do mundo. 
Tu fizes-te parte de uma das épocas mais felizes da minha vida e obrigada por isso A. Nunca me vou esquecer de quando religiosamente todos os dias as minhas amigas me diziam "Lá vem o teu amigo oh Xana, nós queremos que isso role...", e tu ouvias sempre e começavas a rir-te e eu enquanto me cumprimentavas com dois beijinhos na cara (só a mim, estando todas as minhas amigas ao pé), eu dizia-te para não ligares que elas eram tolas, e que o que eu mais queria era que me levasses dali, e que não fosses apenas dois beijos na cara.
Neste momento estou a seguir os conselhos dos meus melhores amigos que é seguir em frente e não me importar contigo, que não te diga nada, que se me ignoras também tenho que te fazer o mesmo. 
Neste momento tu estás online e eu continuo à espera do teu OLÁ, e esperarei pelo teu olá até dar!

(Acho o meu texto é lamechas, aquilo que as pessoas me conhecem, sabem que não sou, mas senti necessidade de escrever o que sinto, talvez numa tentativa de o esquecer. Só espero que resulte!)

4 comentários:

Bernardo disse...

vai resultar :)

Belleine disse...

Achei o texto bastante bonito e emotivo :) vais ver que resulta!

Alice Baptista disse...

o texto não é lamechas. o importante é mesmo escrevermos o que sentimos :)

Alessia disse...

Querida o que tiver, se tiver, de acontecer, mas cedo ou mais tarde acontecerá. Mas não te prendas demasiado ao passado!